Jovens

 

Sexualidade dos Jovens Cristãos

A entrega de todas as faculdades a Deus, simplifica grandemente o problema da vida. Enfraquece e abrevia milhares de lutas com as paixões do coração natural. Mensagens aos Jovens, pág. 30.

 
As afeições juvenis devem ser refreadas, até chegar o período em que a idade suficiente e a experiência tornarão honrosa e segura a sua manifestação. Mensagens aos Jovens, pág. 452.
 
Um pouco de tempo passado a semear joio, queridos amigos jovens, produzirá uma colheita que lhes fará amarga a vida inteira; uma hora de irreflexão - o ceder uma vez à tentação - pode lhes desviar todo o curso da vida para uma direção errada. Não podem ser jovens senão uma vez; tornem útil essa juventude. Uma vez passado o caminho, não poderão retroceder para retificar os erros cometidos. Aquele que se recusa a ligar-se a Deus, colocando-se no caminho da tentação, há de infalivelmente cair. Deus está provando cada jovem. Mensagens aos Jovens, pág. 429.
 
A sensualidade é o pecado da época. A religião de Cristo, porém, manterá as linhas de controle sobre todas as espécies de liberdade ilegal; os poderes morais manterão as linhas de controle sobre cada pensamento, palavra e ato. O engano não será encontrado nos lábios do verdadeiro cristão. Não condescenderá com nenhum pensamento impuro, palavra alguma pronunciada que se aproxime da sensualidade, nenhum ato que tenha a menor aparência do mal.
 
Não procurem saber quão perto podem andar à beira do precipício e todavia estar seguros. Evitem a primeira aproximação ao perigo. Não se pode brincar com os interesses da alma. Seu capital é seu caráter. Acariciem-no, como fariam a um áureo tesouro. A pureza moral, o respeito próprio,o forte poder da resistência têm de ser acariciado firme e constantemente. Medicina e Salvação, págs. 142 e 143.
 
Toda paixão não santificada deve ser mantida sob o domínio da razão santificada através da graça que Deus outorga abundantemente em cada emergência. Porém, que não se crie uma emergência, que não haja ato voluntário que coloque alguém onde será assaltado pela tentação, nem dê o menor motivo para que outros o achem culpado de imprudência. Carta 18, 1891.
 
Enquanto a vida durar, há necessidade de resguardar as afeições e paixões com firme propósito. Há corrupção interior, há tentações exteriores, e sempre que a obra de Deus deve avançar, Satanás traça um plano para dispor das circunstâncias para que a tentação venha com força opressora sobre a alma. Em nenhum momento podemos estar seguros, a menos que confiemos em Deus, e nossa vida esteja oculta com Cristo em Deus. The Seventh-day Adventist Bible Commentary, vol. 2, pág. 1.032.
 
Segundo parece, William está completamente apaixonado por Carol. Nesta seqüência de cartas, percebemos o contínuo esforço de Ellen White para tentar ajudá-lo. Carol tem estimulado uma amizade que absorve quase que totalmente a atenção de ambos. Isso tem ido muito além dos limites do que é correto e honrado, e eles estão profundamente envolvidos nas práticas que, como Ellen White disse, devem ser reservadas para o casamento.
 
Tal relacionamento ameaça a utilidade futura tanto de William como de Carol. Ellen White insiste para que eles rompam esse relacionamento, ou então se casem, para não arruinar a reputação de ambos e o efeito de seu testemunho como cristãos.
 
Carta nº 1
Ballardvale, Massachusetts, Agosto de 1879
 
Estimado William,
 
Fui para minha tenda com o coração quebrantado, a fim de aliviar minha mente escrevendo a você algumas das coisas que foram-me mostradas em visão.
 
O Senhor me mostrou que sua ligação com Carol, não foi, de forma alguma, planejada para ajudá-lo moralmente ou para fortalecê-lo espiritualmente. Você fez algumas débeis tentativas para desligar-se dela, porém logo renovou suas atenções para com ela. Algumas vezes, ela provocando e você correspondendo.
 
Você tem gasto horas noturnas em sua companhia porque ambos estão apaixonados. Ela afirma que o ama, no entanto não conhece o amor puro de um coração despretensioso.
 
Foi-me mostrado que você está fascinado, enganado, e que Satanás se regozija de que alguém que dificilmente possua um traço de caráter que poderia convertê-la numa esposa agradável e tornar um lar feliz, tenha influência sobre você para separá-lo da mãe que o ama com amor constante. Em nome do Senhor, ponha fim às suas atenções para com Carol ou case-se com ela - não escandalize a causa de Deus.
 
Você tem seguido seu próprio caminho sem levar em conta as conseqüências. Seu coração rebelou-se contra sua mãe porque ela não pode, de maneira alguma, aceitar Carol ou aprovar a atenção que você lhe dedica.
 
A intimidade formada com Carol não tem propensão a aproximá-lo do Senhor ou a santificá-lo através da verdade. Você está arriscando seus interesses eternos na companhia dessa moça.
 
Carol espera casar-se com você, e você a tem incentivado a esperar por isso devido às suas atenções. Sua felicidade nesta e na vida futura está em perigo. Você tem atendido às enganosas e tolas petições dela e seguido seu próprio juízo, o que não faz de você um cristão mais firme e um filho mais fiel e consciencioso. Se a atmosfera que a circunda lhe é a mais aprazível, se ela preenche suas aspirações a respeito de uma esposa que estará na liderança de sua família, se em seu julgamento sereno, conduzido pela luz que lhe foi concedida por Deus, o exemplo dela for digno de imitação, você pode não só casar-se com ela como também estar em sua companhia e comportar-se como o marido e a esposa deve comportar-se um com o outro.
 
Seus atos e conversação são ofensivos a Deus. Os anjos de Deus registram suas palavras e ações. A luz lhe tem sido concedida, porém você não a atende. A conduta que tem seguido é uma vergonha à causa de Deus. Seu comportamento é inconveniente e anticristão. Quando cada um deveria estar em sua casa dormindo, estão na companhia e nos braços um do outro quase a noite inteira. Têm seus pensamentos sido mais puros, mais santos, mais enobrecidos e elevados? Tem uma visão nítida do dever - um amor maior por Deus e pela verdade?
 
Sua amiga,
Ellen G. White
 
Carta nº 2
12 de janeiro de 1880
 
Prezado William,
 
Levantei-me cedo esta manhã. Minha mente não está em paz no que diz respeito a você. Seu caso foi-me mostrado. O Livro do Céu se abriu e li um registro de sua vida.
 
Você lançava sobre si a mais amarga crítica por ter confiado em seu próprio juízo e caminhado em sua própria sabedoria. Rejeitou a voz de Deus e desprezou as advertências e conselhos de Seus servos. Seguiu com perseverança e persistência seus próprios caminhos perniciosos, nos quais o caminho da verdade foi blasfemado e almas que poderiam ter sido salvas por seu intermédio se perderam.
 
Muito mais poderia relatar a seu respeito, mas isso é suficiente por ora. Senti-me agradecida quando saí da visão e percebi que não era a realidade presente, que o tempo de graça se prolongava. E agora, peço-lhe que se apresse e não brinque mais com as coisas eternas.
 
Você se vangloria de ser honesto, mas não é. Por sua conduta tem estado e ainda está soldando os grilhões que o prenderão na mesma escravidão com Carol. Tem rejeitado a voz de Deus e tem atendido a voz de Satanás. Age como um homem destituído de bom senso e por quem? Por uma moça sem princípios, sem um traço de caráter realmente digno de amor, arrogante, extravagante, voluntariosa, não consagrada, impaciente, obstinada, sem afeto natural e impulsiva. Se vocês se separassem completamente, ela ainda poderia ter uma melhor oportunidade para examinar-se e humilhar o coração diante de Deus.
 
Sempre há um período crítico na vida de um rapaz quando se separa das influências e conselhos sábios do lar e enfrenta novas situações e provas difíceis. Se, contra sua vontade ou por escolha própria, é colocado em situações perigosas e depende de Deus para buscar força, cultivando o amor de Deus em seu coração, será guardado de ceder à tentação pelo poder de Deus que o colocou naquela situação difícil.
 
Que diferença entre o caso de José e o de jovens que aparentemente forçam sua entrada no terreno do inimigo, expondo-se aos impetuosos ataques de Satanás!
 
O Senhor fez José prosperar. Porém em meio à sua prosperidade veio a adversidade mais sombria. A esposa de seu senhor era uma mulher licenciosa, que o incitou rumo ao inferno. Renderia José seu áureo caráter moral às seduções de uma mulher depravada? Lembrar-se-ia de que os olhos de Deus estavam sobre ele?
Poucas tentações são tão perigosas e fatais para os jovens como a sensualidade. E quem se render provará ser ela claramente destrutiva para a alma e para o corpo, no presente e na eternidade. O bem-estar de todo o futuro de José dependia da decisão de um momento. Calmamente José dirige seus olhos ao Céu e clama por ajuda, livra-se de sua capa exterior, deixando-a nas mãos de sua tentadora. E enquanto seus olhos brilham com determinação resoluta, em lugar de uma paixão não santificada, ele exclama: "Como posso cometer esse grande mal e pecar contra Deus?" A vitória está ganha, ele escapa da sedutora; está salvo.
 
Você tem tido oportunidade de mostrar se a sua religião é uma realidade prática. Tem tomado liberdades à vista de Deus e dos santos anjos que não tomaria na presença de seus amigos. A verdadeira religião compreende todos os pensamentos da mente, penetrando todas a intenções secretas do coração e todos os motivos de ação; o objeto e a direção dos afetos e toda a estrutura de nossa vida.
 
"Tu és Deus que vê", seja a senha, a sentinela da vida. Você pode aceitar essas lições. Você necessita aprender. 
 
Que Deus o ajude.
Ellen G. White
 
Carta nº 3
Hornellsville, Nova Iorque
 
Estimado William,
 
Sinto sincero interesse que esse último apelo não seja tratado com indiferença como foi o anterior. Se não atender a esse, será o último convite que receberá.
 
Resta agora ver se você seguirá o caminho de paixão que escolheu, e se Carol, após sua confissão fará o mesmo que tem feito. Foi-me mostrada sua conduta como segue: ela admitiria e depois atrairia suas simpatias da maneira mais comovente por meio de cartas e conversação. Você fora novamente atraído por ela para lhe oferecer simpatia e estímulo, pois estava tão fraco e completamente cego que outra vez fora enredado por ela mais firmemente do que antes.
 
Foi-me mostrado que você estava em sua companhia altas horas da noite; você sabe muito bem de que modo essas horas foram gastas. Pediu-me para dizer se você havia transgredido os mandamentos de Deus. Pergunto-lhe: Não os está transgredindo? Como foram empregadas as horas que passaram juntos noite após noite? Foram sua postura, atitude e afetos tais que desejaria que fossem registrados no Livro do Céu? Vi e ouvi coisas que deixariam os anjos ruborizados.
 
Nenhum rapaz deve fazer o que você fez com Carol, a menos que esteja casado com ela. Fiquei muito surpresa ao saber que você não vê esse assunto em sua verdadeira luz. Escrevo-lhe agora para implorar, por amor a sua alma, que não brinque mais com a tentação. Apresse-se para pôr fim a esse encanto que, como um pesadelo horrível, o tem envolvido. Liberte-se agora e para sempre se tiver algum anseio pelo favor de Deus.
 
O caminho que tem seguido é suficiente para destruir a confiança em você como um homem honesto e cristão. Você não faria o que fez se não estivesse sob o sedutor poder de Satanás. Continuo, porém, em dúvida se você mudará seu comportamento. Conheço a força que mantém o encantamento sobre você e espero que a perceba e a sinta antes que seja tarde demais. Você fará uma mudança completa e romperá a ligação com Carol? Ela fará a parte dela? Se não fizer isso, então case-se com ela de uma vez e desonrem a vocês e não mais a causa de Deus.
 
Você tem falhado significativamente em quase todos os aspectos. Agora, no resto de sua vida procure recuperar o que perdeu. Que o Livro do Céu ofereça um registro diferente de sua conduta.
 
Deus o abençoe.
Ellen G. White
 
Carta nº 4
Setembro de 1880
 
Querido William,
 
Fiquei contente em receber sua carta e apreciei ler suas sugestões de permanecer onde está até que tenha recuperado ou desfeito a influência errônea que exerceu. Fico feliz de que se sinta assim. Como você sabe, escrevi explícita e claramente da forma que as coisas foram-me mostradas. E a consideração que tenho por sua alma levou-me a relatar o seu caso do modo como foi me mostrado, como de grande perigo. Será difícil para você enxergar dessa maneira, mas em um sonho que tive na noite passada, você estava dizendo para a sua mãe: "Se as coisas são realmente desta forma, não adianta eu me esforçar, pois vou falhar."
 
Eu disse, William, que quando você tentar com toda perseverança e determinação voltar atrás e se libertar da armadilha de Satanás, se livrará de sua escravidão e será um homem livre. Exigirá muita força de vontade, no poder de Jesus, para romper a força do hábito e abandonar o adversário das almas que você tem acolhido por tanto tempo. Troque de hóspedes e convide Jesus para tomar posse do templo de sua alma. Ele, porém, não divide o coração com Satanás. Você pode agora mesmo, nesse instante, fazer um esforço decidido, não por seu poder, mas pelo poder de Jesus.
 
Abra seu coração diante de Deus, confesse e abandone as coisas que o têm separado dEle. A obra do arrependimento deve começar com sua mãe. Nunca se aproximará da luz se não fizer isso. Não deixe de fazer o que deve ser feito para corrigir os erros, pois agora você chegou ao momento decisivo.
 
Terá a provação porque será provado por Deus. Se sair puro como o ouro, então Deus o usará. Não seja incrédulo e sim confiante. Sua provação não será deleitosa no presente, mas muito dolorosa. Mais tarde, porém, produzirá o pacífico fruto da justiça. "Pois o Senhor corrige ao que ama, e açoita o que recebe por filho. É para disciplina que sofreis; Deus vos trata como a filhos; pois qual é o filho a quem o pai não corrija?" Heb. 12:6 e 7.
 
Pág. 73
Agora seus passos devem descer profundamente pelo vale da humilhação. Você tem pensado: "Minha montanha permanece firme. Posso suster-me." No entanto, sua experiência passada e sua situação presente é que deve lhe dar um claro discernimento da depravação do homem por causa de seu afastamento de Deus.
 
Meu querido jovem, por amor a Cristo, não continue se enganando em sua conduta. Trabalhe como se fosse para a eternidade. Não consulte a si mesmo. Abra o coração perante Deus para que não caia sobre você aquela rocha e o reduza a pó.
 
Que mais devo lhe dizer? Que posso dizer? Desejo que seja salvo. Desejo que seja perfeito diante de Deus.
 
Com amor,
Ellen G. White
Carta 50, 1880.

 

O que é essa coisa chamada amor?

Apaixonar-se é uma das experiências mais emocionantes da vida. Todos querem encontrar o verdadeiro amor e, quando isso acontece, a vida adquire novo significado. Um aumento repentino de energia flui no organismo do apaixonado. Um entusiasmo renovado torna atrativo o mais tedioso trabalho. Uma química especial entra em funcionamento.

No estágio inicial do amor, o tempo desfrutado pelo casal está repleto de experiências emocionantes e ternos momentos. Cada olhar e toque, cada conversa e beijo adquirem um significado especial. Tudo parece tão certo, tão bom e perfeito. De repente surge a questão: “Como saber se é amor verdadeiro?”

O amor é tão emocionante que algumas pessoas deliberadamente cerram seus olhos para qualquer coisa que possa arruinar a ilusão. Falar sobre as diferenças entre o verdadeiro amor e a paixão passageira é complicado, mas não impossível. Aplicar o “teste do tempo” – dois anos completos de namoro antes do casamento – pode ajudar.

O amor verdadeiro supera tudo?

Muitos relacionamentos fracassam antes mesmo de realmente começarem, porque os casais adotam a teoria de que o amor supera tudo: “Não importa qual seja o problema, podemos vencê-lo. Nós nos amamos tanto que tudo se resolverá. Nenhum problema é maior do que o nosso amor.”

Aquele que adota essa teoria não está encarando a realidade. Se os casais enfrentam um ou vários dos problemas mencionados a seguir e insistem que são irrelevantes, estão vivendo na perigosa zona do “amor supera tudo”:

 grande diferença de idade
• diferenças raciais ou culturais
• diferenças religiosas
• falta de estudo
• falta de recursos financeiros
• um casamento prévio
• reprovação dos pais
• desacordo sobre ter ou não filhos
• hábitos de beber, jogar, drogar-se ou outros usos compulsivos.

Tina e André namoraram durante um ano. Tina foi educada num lar religioso, enquanto André cresceu sem religião. Antes de conhecer Tina, ele nunca havia estado numa igreja. Enquanto namoravam, discutiam superficialmente suas diferenças religiosas. André ia à igreja com Tina para fazê-la feliz, mas nunca assumiu um compromisso com Deus e a fé cristã. Visto freqüentar ele a igreja com certa assiduidade, Tina pensou que André estava aceitando suas crenças, ainda que ele nunca houvesse confirmado isso. Eles se entendiam tão bem em outros assuntos, que ambos evitaram abordar a questão religiosa na esperança de tudo dar certo. Nenhum deles queria provocar distúrbios no relacionamento. No íntimo, Tina sabia que nunca abandonaria suas crenças religiosas, e André acreditava que nunca seria religioso como Tina. Ambos pensavam que o amor que sentiam um pelo outro poderia superar todos os obstáculos.

Tina e André se casaram, mas não compartilhavam a mesma opinião sobre fé, igreja e espiritualidade. Ao evitar a questão das diferenças religiosas antes do casamento, eles estavam, na realidade, dizendo: “Se nos amarmos o suficiente, podemos superar o problema. O verdadeiro amor pode sobrepujar nossas diferenças religiosas.” Após o casamento, a situação não se mostrou tão favorável assim. André não tentava mais ir à igreja para agradar Tina. Ela, ainda assim, tentou continuar amando-o, mas não tinha nele o líder espiritual que tanto desejava no lar. Ela queria um esposo que orasse com ela sobre os problemas, que provesse orientação espiritual e que fosse um modelo cristão para seus filhos.

Por mais apaixonado que você esteja agora, por mais que prometa que nenhum dos problemas apontados irá separá-los, tratar dessas questões no futuro desgastará o amor e o afeto que sentem um pelo outro.

O amor é estranho

Nos estágios iniciais do amor, você provavelmente experimentará vários tipos de sentimentos e reações, inclusive uma emoção intensa e a idealização de seu companheiro(a), ou seja, pensar que ele ou ela é absolutamente “perfeito” ou “perfeita.” Essa fase romântica chamada paixão, envolve mudanças emocionais e fisiológicas interessantes, que foram testadas em laboratórios e são 100% reais! Por exemplo, a sensação de estar apaixonada faz uma mulher parecer mais bonita. A pesquisa explica que “homens e mulheres apaixonados andam mais eretos e parecem mais altos, porque a coluna vertebral está estirada.” Todas as reações motoras são intensamente ativadas, fazendo com que os apaixonados estejam extremamente atentos e emocionalmente receptivos aos seus companheiros.1

Os olhos parecem mais brilhantes porque a produção de lágrimas aumenta. Isso explica porque os olhos cintilam mais, e também porque você sente que o mundo está mais iluminado, brilhante e mais cheio de felicidade. O coração acelera e faz com que as pessoas sejam ainda mais susceptíveis de se apaixonar.

O nível de energia também aumenta. Estar apaixonado estimula a produção de epinefrina (adrenalina) e produz energia e força para a superação de problemas; daí o sentimento de poder superar tudo.2 Outro estudo com pessoas que acreditavam estar apaixonadas demonstrou que esse aumento de adrenalina deixa o coração mais terno. Os participantes dessa pesquisa receberam uma dose de adrenalina para assemelhar-se ao estado atingido pelos apaixonados. O resultado foi que aqueles que receberam tal dose demonstraram mais afeição do que os participantes que não a tinham recebido. Em outras palavras, o estado de apaixonado aumenta a capacidade de amar.3

Aqueles que estão apaixonados são mais receptivos e aceitam o que a vida tem a lhes oferecer. Estão prontos a desfrutá-la plenamente. Em contraste, aqueles que não estão apaixonados apresentam aos outros uma postura mais negativa ou fechada quando ofendidos ou irados. Suas atitudes e reações implicam em manter a cabeça abaixada, cerrar e enrugar os lábios, dar passos curtos e manter os braços junto ao corpo. Eles se distanciam física e emocionalmente das pessoas com mais facilidade. Como conseqüência, os outros também se afastam deles. O resultado se traduz em pessoas infelizes que pensam que ninguém gosta delas, que nunca recebem o amor e a atenção que desejam e necessitam para ser felizes.

Alguns jovens adultos indagam-se sobre qual a razão de nunca encontrarem uma namorada ou namorado, e se sentirem rejeitados pelas pessoas do sexo oposto. Na realidade, eles transmitem uma atitude ou postura negativa que afasta os outros.4

A memória também melhora quando estamos apaixonados, pelo menos seletivamente. A pessoa apaixonada possui a extraordinária habilidade de lembrar todos os pormenores que dizem respeito ao objeto de sua afeição. O jovem poderá se esquecer da tarefa de matemática ou a moça de ativar o alarme do relógio, mas nenhum deles se esquecerá dos detalhes um do outro.

Os apaixonados desejam ficar fisicamente próximos das pessoas que amam. Se o seu parceiro ou parceira está constantemente procurando estar perto de você, a probabilidade é de que ele (ou ela) esteja apaixonado(a).

O amor afeta a química cerebral. Um estudo indicou que quando o estado emocional é definido como de “amor”, há um aumento de uma substância química chamada feniletilamina, que mantém o nível emocional elevado. É interessante destacar que a feniletilamina é o mesmo componente químico encontrado no chocolate um presente habitual entre os apaixonados.5

O amor afeta também os hábitos alimentares. Muitas pessoas sentem falta de apetite nos estágios iniciais do amor. Outras pessoas sentem como se estivessem andando nas nuvens ou sendo transportadas para outro mundo, onde estão vagamente conscientes do que se passa ao seu redor.

Os apaixonados podem sentir mãos suadas, pupilas dilatadas, nervosismo no estômago etc. Esses efeitos fisiológicos tendem a desaparecer com o tempo.

No início do relacionamento é normal pensar constantemente no amado ou amada. Lana diz, com tom sonhador: “Vou dormir pensando nele, e é a primeira coisa que penso quando acordo pela manhã. E assim começa mais um dia em que ele nunca sai de meus pensamentos.” O enfoque intenso na pessoa amada tende a adicionar um interesse e entusiasmo ainda maior ao relacionamento. Quando longe um do outro, é comum o casal, nesse início romântico, desejar intensamente um telefonema ou esperar ansiosamente pelo momento em que se verão.

Nesse período, as pessoas conversam amplamente sobre o objeto de sua afeição com qualquer indivíduo que as queira ouvir. É possível que alguém apaixonado fique tão imerso nesse relacionamento romântico, que as responsabilidades são ignoradas ou esquecidas. Kurt afirma: “Estou tendo problemas em me concentrar nas aulas, e não consigo fazer meus trabalhos de casa. Eles se acumulam e não consigo realizar as tarefas cujos prazos estão vencendo. Outro dia estava numa reunião da associação estudantil e alguém fez uma pergunta. Não me dei conta de que a questão me havia sido dirigida, até que todos começaram a rir.”

Foco nas particularidades: os homens

Geralmente os homens se apaixonam mais rapidamente que as mulheres. Num estudo envolvendo 250 homens e 429 mulheres, os pesquisadores mediram a “cota romântica” de todos os que estavam apaixonados no momento. Mais de 25% dos homens disseram que se apaixonaram profundamente antes do quarto encontro, enquanto que isso acontecia com apenas 15% das mulheres. De fato, metade das mulheres relatou que não sabia se era amor genuíno, mesmo após 20 encontros! A conclusão foi que as mulheres demoram mais para saber se estão ou não apaixonadas.6

Concluiu-se que os homens se apaixonam mais rapidamente porque são atraídos em primeiro lugar pelas qualidades físicas de uma jovem. Um estudo revelou que os homens precisam apenas de sete segundos para decidir se querem estabelecer um relacionamento com uma mulher. Se ela for atraente, o homem raramente sente a necessidade de avaliá-la durante certo tempo. Se ele gostar do que vê e ela “acender” seus hormônios, então ele sabe que é amor. Considerações sobre as habilidades domésticas dela, ou como ela se relacionará com a família dele, ou ainda que tipo de mãe será, tornam-se secundárias diante de sua beleza.

Em geral, um homem também concluirá que é amor quando a mulher o faz sentir-se bem a respeito de si mesmo. Isso satisfaz sua necessidade de admiração e apreciação. Para encontrar o amor verdadeiro, portanto, o homem deve ter calma e amar a mulher de modo paciente e afetuoso durante um longo período de tempo. Aquele que se apressa seguindo somente seus instintos poderá decepcionar-se no final.

Foco nas particularidades: as mulheres

As mulheres têm outra perspectiva do amor. Geralmente demoram mais para se decidir, e não estão tão dispostas a declarar seu eterno amor antes de conhecer as qualidades interiores de um homem. Elas são mais inclinadas a procurar as características que desejam num homem, como o futuro pai de seus filhos. As mulheres, mais que os homens, possuem a habilidade de visualizar como será um relacionamento com um homem por toda a vida.

Elas demoram mais para se apaixonar, porque estão mais conscientes de seus sentimentos. É-lhes fácil distinguir paixão e todas as suas emoções do amor genuíno, que tende a avançar mais lentamente. As mulheres certamente sentem e gostam das palpitações da paixão, mas estão mais predispostas a permitir que a mente controle o coração, pelo menos inicialmente.

São mais vagarosas do que os homens para rotular seus sentimentos de “amor”, porém são mais persistentes em sua busca do amor verdadeiro. Uma vez que decida que encontrou a pessoa certa, ela tende a ficar mais intensamente romântica e sentimental. O amor, então, torna-se eufórico. A vida adquire um significado especial. As cores são mais brilhantes; a mulher fica mais feliz, mais bonita e radiante como nunca dantes. Ela pode ter dificuldades de se concentrar em qualquer coisa, exceto na pessoa amada e nos sonhos de um futuro juntos.

Amor sem limites

A sociedade nos programa, através da mídia e outros meios, para acreditarmos que o amor solucionará todos os problemas pessoais. Tal conceito conduz as pessoas a um caminho perigoso, porque esperam que um romance ofereça o que somente Jesus pode suprir.

Em vez de colocar todas suas esperanças e sonhos no ser humano, por que não se colocar primeiro a si mesmo nas mãos dAquele que nunca muda? Jesus é o mesmo ontem, hoje e sempre. Ele cumprirá as promessas que fez. Você pode confiar nEle. Seu amor é completamente incondicional. Ele sempre o amará, independentemente de sua aparência, fracassos ou erros. Quando outros decepcionam você, Ele está ao seu lado para amá-lo e cuidá-lo. Ele é o único que o ama em toda a sua plenitude.

Jesus é o único que pode suprir todas as nossas necessidades, satisfazer todos os nossos desejos e atender a todas as nossas expectativas. Apóie-se nEle, em primeiro lugar, e então terá menos chance de ficar desapontado no amor, e com mais possibilidade de encontrar um amor que o satisfaça neste mundo.

Nancy Van Pelt é educadora especializada em vida familiar. Publicou 28 livros que foram traduzidos em mais de 30 idiomas. Este artigo foi adaptado de seu livro Smart Love: Straight Talk to Young Adults About Dating, Love and Sex. Ver www.heartnhome.com

Referências

1. Joyce Brothers, The Brothers System for Liberated Love and Marriage (New York: Peter H. Wyden, 1972), p. 19.
2. Ibidem.
3. Ibidem.
4. Idem, p. 22.
5. John James e Ibis Schlesinger, Are You the One for Me? (Reading, Massachusetts: Addison-Wesley, 1987), p. 198.
6. Nancy L. Van Pelt, Smart Love: A Field Guide for Single Adults (Grand Rapids, Michigan: Fleming H. Revell, 1997), p. 128.

Fonte: Dialogue Adventist